O desafio


A água potável é essencial para os seres humanos e para todas as outras formas de vida. Contudo, segundo as estimativas de alguns observadores, em 2025 mais de metade da população mundial irá enfrentar uma situação de vulnerabilidade devido à escassez de água. O aumento da população e a urbanização contam-se entre as tendências que continuam a afetar negativamente a disponibilidade de água doce.

É provável que este aumento significativo da pressão sobre as reservas mundiais de água se agrave no contexto das alterações climáticas globais. Isto poderá conduzir a uma maior escassez de água (como a seca sentida ao longo do último ano em São Paulo) e, consequentemente, a custos mais elevados, a restrições no fornecimento e a controlos de emergência na forma como a água é utilizada, com algumas zonas onde a Sonae Sierra opera a serem mais diretamente e severamente afetadas do que outras como, por exemplo, o Sul da Europa e o Brasil.

Uma vez que os centros comerciais da Sonae Sierra dependem de cerca de 1,159 milhões de m3 de água por ano para a prestação de serviços diários como os serviços de limpeza, de manutenção de instalações sanitárias e de irrigação, necessitamos de garantir que dispomos de fornecimentos adequados para todos os nossos centros comerciais através da preservação dos recursos de água doce e da prevenção da sua poluição.

A nossa estratégia


Estamos cientes dos riscos inerentes a uma possível escassez de água e estabelecemos procedimentos de gestão rigorosos com vista a garantir que o uso que fazemos da água seja tão eficiente quanto possível. Ao aumentar a eficiência no consumo de água do nosso portefólio e ao integrar sistemas de recolha de águas pluviais e de reutilização de água nos nossos edifícios, podemos reduzir a nossa exposição aos riscos de escassez deste recurso e minimizar a nossa utilização de água, preparando-nos deste modo para uma potencial legislação que venha a vigorar no futuro e assim evitando custos.

O desenvolvimento de projetos eficientes em termos de utilização de água é promovido através dos Requisitos de Segurança, Saúde e Ambiente para projetos (SHEDS). Nos nossos centros comerciais em operação, instalamos dispositivos eficientes ao nível do uso de água, como os urinóis que não utilizam água, autoclismos de descarga reduzida e torneiras com sensores em todos os projetos de remodelação, tendo definido procedimentos com vista a restringir o uso deste recurso, sempre que tal seja adequado. A nossa estratégia de monitorização da água permite-nos otimizar o consumo da mesma nos centros comerciais, na medida em que nos permite identificar padrões de utilização superiores ao normal, bem como definir novas medidas de gestão para um controlo mais rigoroso da utilização da água.

Estamos igualmente empenhados em adotar soluções que visam reciclar as águas residuais e reduzir a poluição de fontes de água locais. Os nossos centros comerciais podem ter até cinco sistemas diferentes de recolha de águas residuais, permitindo que diferentes tipos de águas residuais possam ser reutilizados e/ou tratados, de acordo com as respetivas características. As descargas de águas residuais são analisadas com regularidade por laboratórios certificados externamente, de forma a controlar os níveis de contaminação das nossas descargas de água para esgotos municipais, cursos de água, etc.
Para obter informações adicionais, clique aqui

Os nossos objetivos a longo prazo



  • Atingir um nível de consumo de água igual ou inferior a três litros por visita, até 2020.

  • Assegurar que, até 2020, todas as descargas para os cursos de água locais estejam em conformidade com os padrões de qualidade de águas residuais e os valores-limite de poluição da Sonae Sierra.


O nosso desempenho, (em 31 de Dezembro de 2014)







Para ver o histórico do nosso desempenho e outros indicadores de desempenho relativos à Água, clique aqui.

Para exemplos das nossas iniciativas relativas a Água, consulte os Casos de Estudo.

Nota: Na sessão “Sustentabilidade” todas as informações são globais e referem-se à Sonae Sierra e seus shopping centers nos vários países onde atua, incluindo o Brasil.